Seu guia de fornecedores para área magistral

Description

A disfunção erétil é uma condição que afeta a capacidade do homem em alcançar ou manter uma ereção adequada para o sexo. Acomete todas as idades, porém é mais comum em idosos maiores de 75 anos.

Quando falamos em tratamento para disfunção erétil, vem logo em mente os medicamentos sildenafila e tadalafila, conhecidos comercialmente por Viagra e Cialis. Ambos são inibidores da fosfodiesterase tipo 5 e permitem um aumento do fluxo de sangue para o corpo cavernoso do pênis. Mas você sabia que existem inúmeros fitoterápicos que também auxiliam no tratamento da disfunção erétil?

Recentemente publicamos uma matéria sobre os principais medicamentos que causam disfunção erétil (clique aqui para ler matéria completa). Agora, baseando-se em alguns estudos de revisão sobre o tema, reunimos para você os 10 fitoterápicos e nutracêuticos mais estudados e utilizados para disfunção erétil.

Panax Ginseng

Há duas teorias proposta para justificar o uso do Panax Ginseng (ou Ginseng vermelho) na disfunção erétil. Uma delas é que esse fitoterápico influencia os hormônios responsáveis ​​por atingir a ereção. Outra é que promove o fluxo sanguíneo, aumentando a quantidade de óxido nítrico. Uma revisão de 2008 publicada no British Journal of Clinical Pharmacology, mostrou que o Panax ginseng é mais eficaz que o placebo na redução dos sintomas de disfunção erétil.

Crocus sativus

Ensaios clínicos randomizados duplo-cegos revelaram superioridade do crocus sativus quando comparado ao placebo. No entanto, quando comparado com sildenafila não mostrou resultados promissores.

Tribullus terrestris

Geralmente os estudos destacam mais o Tribullus terrestris no tratamento de infertilidade e perda de libido. No entanto, formulações contendo esse fitoterápico foram consideradas eficazes em ensaio com mais de 170 pacientes com disfunção erétil. Evidências experimentais destacam possível ação no endotélio, dependente de óxido nítrico gerando suas ações pró-eréteis.

Picnogenol

O modo de ação de Pinus pinaster na disfunção erétil é desconhecido e, apesar de alguns trabalhos relatarem efeito na disfunção erétil, até o momento, nenhum estudo avaliou o efeitos de Picnogenol no corpo cavernoso de forma isolada.

Epimedium

Acredita-se que o Epimedium altera os níveis de certos hormônios no corpo, o que pode, por sua vez, melhorar o desempenho sexual. Estudo publicado no The Journal of Sexual Medicine mostrou que os ratos que receberam o extrato de Epimedium demonstraram maior incidência de fluxo sanguíneo do que aqueles que não receberam.

Ginkgo biloba

Ginkgo biloba atua dilatando os vasos sanguíneos para promover o fluxo sanguíneo aos órgãos sexuais. Estudos mostram que ginkgo pode ser mais eficaz para tratar a disfunção sexual causada pelo uso de inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRSs), medicamentos prescritos para tratar a depressão .

Iombina

A ioimbina atua ativando a liberação dos hormônios epinefrina e norepinefrina, bloqueando os efeitos de outros compostos que podem contrair os vasos sanguíneos do pênis. Estudos demonstraram que a iombina é capaz de aumentar a libido e a motivação sexual em estudos com animais.

Maca Peruana

Embora a função sexual seja parcialmente regulada pela testosterona, há poucas evidências de que a Maca peruana (Lepidium meyenii) possa aumentar a testosterona sérica ou testicular. No entanto, estudos em animais sugerem melhora da disfunção sexual através do aumento da pressão intracavernosa em relação à pressão arterial média.

L-arginina

Os trabalhos de revisão apontam que o uso da L-argina de maneira isolada apresenta um modesto efeito na disfunção erétil, porém quando associada a outros suplementos como citrulina, ornitina, picnogenol, adenosina e até mesmo aos medicamentos inibidores da fosfodiesterase (Sildenafil e Tadalafil), os resultados são ainda mais pronunciados agindo em sinergia.

Leia também “Estudo conclui que a combinação de L-arginina com tadalafil no tratamento de pacientes idosos com disfunção erétil é mais eficaz do que qualquer tratamento isolado

L-carnitina

Os estudos ainda são controvérsos e a maioria mostra resultados melhores quando associado a outros insumos. Um estudo de 2012 por exemplo, 54 homens com disfunção erétil utilizaram durante 3 meses L-carnitina associada com L-arginina e niacina. As análises revelaram que o tratamento melhorou a ereção em 40%, com pelo menos uma resposta parcial ocorrendo em até 77% dos pacientes inscritos. 

.

Bibliografia consultada:

Borrelli F; et al. Herbal Dietary Supplements for Erectile Dysfunction: A Systematic Review and Meta-Analysis. Drugs, 2018

Jang DJ; et al. Red ginseng for treating erectile dysfunction: a systematic review. Br J Clin Pharmacol. 2008

Shindel AW; et al. Erectogenic and Neurotrophic Effects of Icariin, a Purified Extract of Horny Goat Weed (Epimedium spp.) In Vitro and In Vivo.  J Sex Med, 2010.

Disponível em Medical News Today. Traduzido e adaptado por Magistral Guide.

Leisegang K; Finelli R. Alternative medicine and herbal remedies in the treatment of erectile dysfunction: A systematic review. Arab J Urol. 2021

Gianfrilli, D., et al. Propionyl‐l‐carnitine, l‐arginine and niacin in sexual medicine: a nutraceutical approach to erectile dysfunction. Andrologia, 2012.

Related Posts

Os óvulos são formas farmacêuticas sólidas, de dose única destinados a serem introduzidas no trato ...
Magistral Guide
27 de fevereiro de 2024
Pacientes com intolerância à lactose geralmente são aconselhados a evitar leite. No entanto, muitos ...
Magistral Guide
27 de fevereiro de 2024
A canela contém polifenóis que podem melhorar a homeostase da glicose e reduzir as concentrações de ...
Magistral Guide
22 de fevereiro de 2024